Envie-nos uma mensagem

Newsletter Bijutarias.com

Mantenha-se informado sobre as novidades do Bijutarias.com!

Subscribe to Newsletter Bijutarias.com feed

Há Conta

Logotipo Há Conta

O Há Conta começou um pouco por acidente no final do ano de 2010. Sílvia Jordão, as mãos por de trás deste projeto de bijutaria artesanal, confessa que é uma autodidata: sempre gostou de fazer bijutaria para si própria ou para oferecer às amigas que acabaram por ir divulgando as suas peças. Quando deu por ela, Sílvia já tinha investido em material e até já estava a pensar na criação de uma marca de bijutaria artesanal. Da teoria para a prática foi um saltinho e o Há Conta, que é uma paixão assumida, tem vindo a crescer de forma contínua. Sílvia admite ainda que, por mais que queira parar, já não consegue!

O que começou por ser uma forma de pôr em prática o gosto por experimentar diferentes materiais e a criar peças distintas, rapidamente levou Sílvia Jordão a perceber que, com algum investimento e trabalho, este passatempo podia efetivamente transformar-se numa profissão.

Quando questionada sobre a rentabilidade financeira do Há Conta, Sílvia diz que “é difícil conseguir valorizar uma paixão, porque nunca se paga o preço justo, no entanto, para obter algum lucro, é necessário um trabalho de pesquisa de fornecedores bastante exaustivo, que normalmente não é contabilizado pelo artista, para conseguir o melhor preço de venda. Para que se transforme numa fonte de rendimento significativa teria de passar a ser uma profissão, porque exige muita dedicação, participação em feiras de artesanato, procura de lojas onde expor as peças, manutenção do blog/Facebook, etc…”

Mas é precisamente aí que Sílvia Jordão acredita que o Há Conta se distingue da sua concorrência: a qualidade dos materiais e o bom acabamento das peças falam por si. Acrescenta ainda que “o fato de não fazer nada que não gostasse de usar, também tem a sua importância e reflete-se no resultado final”.

Em termas de inspiração, Sílvia vai buscá-la em tudo – música, arte, moda, cinema… depois, coloca as mãos nas contas e confessa que “o processo criativo pode chegar a durar semanas, desde o momento em que se pensa num material ou se idealiza a peça que se pretende, até às experiências que se vão fazendo e a pesquisa que se faz… há peças mais simples de criar e outras mais complexas, tudo depende do que me passa pela cabeça”!

Quando está a criar as suas peças, tem por hábito visualizar “pessoas práticas, com bom gosto, que gostam de complementar o seu outfit com um acessório original, como eu”! Afinal de contas, uma mulher fica sempre mais elegante se ultimar o seu look com um acessório, no entanto, usar bijutaria deve ser feito com o equilíbrio certo. As suas peças são ideais para oferecer a qualquer pessoa, seja homem, mulher, crianças, tudo é feito Há Conta!

Pessoalmente, Sílvia elege as pulseiras como a sua peça de bijutaria preferida e aponta as pérolas como sendo uma bijutaria intemporal, independentemente de ser “um colar de pérolas ou a forma como se podem aplicar as pérolas em peças de bijutaria, dando um toque mais clássico ou mais out of the box”.

As peças Há Conta podem ser adquiridas através do Facebook em www.facebook.com/haconta ou na Etsy Shop http://www.etsy.com/shop/silviajordao – após a encomenda, são entregues pessoalmente ou enviadas por CTT. Se quiser ver estas peças ao vivo e bem de perto, estão disponíveis na loja BYZZ na Av. de Roma, em Lisboa ou então na LXMarket, onde pode encontrar a Sílvia Jordão quase todos os domingos.

E por onde passará o futuro do Há Conta? Sílvia Jordão não tem grandes expetativas… por enquanto! Mas, como diz, “isto é um artista a falar: hoje acordamos tranquilos e logo deitamo-nos com 30 mil ideias a fervilhar para por em prática… mas um dia gostaria de poder viver apenas deste hobby, quem sabe, vamos ver o que o futuro nos reserva”!

Para quem partilha esta paixão pela bijutaria e quer, tal como Sílvia, dar o salto da teoria para a prática, a “artista” deixa algumas recomendações: “Arrisquem, é um investimento – muito grande, quer pessoal, quer financeiro, mas o resultado final é gratificante e o percurso é enriquecedor, pelas pessoas que conhecemos e pelo que vamos aprendendo”.

 

Adicionar comentário

Inicie sessão ou registe-se para publicar comentários